educacao.ba.gov.br

Inscrições abertas para Programa Primeiro Emprego


Inscrições abertas para Programa Primeiro Emprego
Crédito: Reprodução

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia, através do Programa Primeiro Emprego, está promovendo a ampliação de oportunidades de inserção de jovens no mundo do trabalho formal.

Para participar do programa e ter a primeira experiência profissional, os estudantes que estão concluindo os cursos técnicos de nível médio e egressos, até o ano de 2015, da rede estadual de Educação Profissional, devem se inscrever no Portal da Educação, disponibilizando dados como telefone, e-mail e endereço. A alternativa para se cadastrar no Primeiro Emprego é ir direto à unidade escolar onde está matriculado ou concluiu o curso técnico de nível médio.

A convocação para as vagas é feita pelo SineBahia, através de publicação no Diário Oficial. O convocado também é acionado por telefone. Depois, o SineBahia encaminha os técnicos para os órgãos e empresas participantes do Primeiro Emprego. Os empregos serão oferecidos na área de estudo de cada jovem, tanto em órgãos públicos quanto na iniciativa privada.

A meta do programa é oferecer nove mil vagas até 2018. Até agora, quase quatro mil jovens já foram convocados. A remuneração nas instituições privadas é a partir de um salário mínimo. Nos órgãos estaduais, além do salário mínimo, o contemplado tem direito a benefícios como plano de saúde (Planserv), vale-transporte e alimentação. Em ambos os casos, os estudantes terão suas Carteiras de Trabalho assinadas e todos os direitos trabalhistas garantidos.



Abertas inscrições para curso de Educação Fiscal

encontro secretario 2Estão abertas, até o dia 26 de março, as inscrições para o curso de Disseminadores de Educação Fiscal (DEF). O curso, que tem o objetivo de promover a formação de disseminadores sobre a temática, é parte integrante do Programa Nacional de Educação Fiscal e será ofertado na modalidade à distância, na plataforma da Escola Virtual de Administração Fazendária (ESAF), do Ministério da Fazenda, em parceria com as secretarias estaduais da Educação e da Fazenda.

O curso, que será realizado entre 3 de abril e 4 de junho, é destinado a professores da rede pública estadual, servidores públicos, universitários e à sociedade em geral. Os interessados devem preencher a ficha de inscrição disponível em http://limesurvey.sefaz.ba.gov.br/index.php?sid=86624 . As vagas são limitadas e o principal critério de participação é a ordem de inscrição.

Com uma duração de 120 horas, o curso de Disseminadores de Educação Fiscal se dividirá em cinco módulos: Educação Fiscal no Contexto Social, Relação Estado e Sociedade, Função Social dos Tributos, Gestão Democrática dos Recursos Públicos e Elaboração de Projeto Pedagógico ou Plano de Ação. Durante a realização das atividades à distância, os cursistas contarão com o apoio de um tutor para esclarecimento de dúvidas, fomentação de debates nos fóruns, acompanhamento da aprendizagem, manutenção da motivação, estímulo à troca de experiências e interatividade entre os participantes.

O coordenador de Educação Ambiental e Saúde da Secretaria da Educação do Estado e articulador do curso, Fábio Barbosa, destaca que o curso apresenta conteúdos estratégicos para serem trabalhados em sala de aula.

“O curso é importante porque os conhecimentos sobre a função social dos tributos asseguram a capacidade do exercício da cidadania, vinculada ao desenvolvimento econômico do Estado, e a distribuição justa dos recursos públicos”, pontua, ao acrescentar que “estes conhecimentos deverão ser vivenciados nos estabelecimentos de ensino como tema social contemporâneo, inseridos no projeto político-pedagógico das escolas e trabalhados de forma integrada aos conteúdos programáticos dos componentes curriculares”.

Mais informações:
Secretaria da Fazenda (71) 3115-5078
Secretaria da Educação (71) 3115-8952

A Secretaria da Educação do Estado está mobilizando gestores e as famílias para eleições do Colegiado Escolar

Fotos: Claudionor Jr

A Secretaria da Educação do Estado está mobilizando os gestores escolares, os estudantes e as famílias para a participação plena no processo eleitoral do Colegiado Escolar para o biênio 2017/2019, que acontecerá de 8 a 12 de maio em todas as escolas estaduais. Nesta quinta-feira (23), a Secretaria irá promover um encontro sobre as eleições, com gestores escolares e presidentes de colegiados da rede estadual de ensino, do Núcleo Territorial de Educação Metropolitano de Salvador (NTE 26), a partir das 8h30, no auditório do Centro Educacional Carneiro Ribeiro – Escola Parque, no bairro da Caixa D´Água, em Salvador.

O colegiado tem a função de promover a participação e acompanhamento das ações pedagógicas, administrativas e financeiras da escola e é composto pelo diretor da escola e representantes de professores, funcionários, estudantes, pais, mães ou responsáveis.

No interior, as escolas também já estão mobilizadas para as eleições. Nesta terça-feira (21), o Núcleo Territorial de Educação do Baixo Sul (NTE 06), localizado em Valença (126 km de Salvador), reuniu gestores escolares e presidentes dos colegiados das escolas do território, no Centro Estadual de Educação Profissional do Leste Baiano. Durante o encontro, foram abordados diversos temas, como a importância do Colegiado Escolar como ferramenta de uma gestão democrática e participativa, além dos procedimentos para as eleições.

Para a professora Tania Alves, diretora do Colégio Estadual Manoel Benicio Dias, que participou da formação, “o suporte dado durante a reunião de trabalho foi extremamente proveitosa e importante, pois teremos tranquilidade e segurança na eleição do Colegiado Escolar nas nossas unidades de ensino”, afirmou.

Trabalhadoras da Educação debatem direito das mulheres e equidade de gênero

Foto: Suâmi Dias – Ascom/Educação
Foto: Suâmi Dias – Ascom/Educação
Como parte das comemorações alusivas ao mês em que se celebra o Dia Internacional da Mulher (8), a Secretaria da Educação do Estado desenvolve uma série de atividades, com o objetivo de discutir os diferentes papéis que a mulher ocupa na sociedade. Com a temática “Março Mulheres – Mulheres que Transformam”, são realizadas palestras, mesas redondas e exibições de filmes, no auditório da Secretaria, no Centro Administrativo (CAB).
Nesta segunda-feira (13), foi exibido o filme ‘Que horas que ela volta’. Estrelado por Regina Casé e dirigido por Anna Muylaert, o filme narra a vida de uma emprega doméstica e sua relação com a filha, que passam a morar juntas na casa dos patrões da mãe, em um contexto que revela as diferença entre classes sociais. Na sexta-feira (10), durante uma mesa redonda, mulheres trabalhadoras da Secretaria participaram do debate sobre “Direito das Mulheres”. No encontro, foram abordadas questões como as conquistas e lutas históricas pelos direitos da mulher e as relações de gênero e poder nas instituições.
A coordenadora do eixo de enfrentamento da violência contra a mulher, Maria Alice Bittencourt, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia, que participou da mesa redonda, destacou a necessidade de luta pela equidade de gêneros. “Uma das maiores lutas é conseguirmos a paridade entre homens e mulheres na sociedade. Temos apenas 10% das mulheres no parlamento e ganhamos 1/3 a menos, com a mesma formação nos empregos. Tivemos muitas conquistas, mas acredito que estamos no começo desta luta, já que tivemos um crescimento no número de feminicídio”, afirma.
Com um enfoque maior sobre a inclusão do tema na escola, Amanda Cunha, membro da Marcha Mundial das Mulheres, ressaltou a importância de discutir o assunto com crianças e adolescentes. “Quando se trabalha a partir da educação infantil fica mais fácil conscientizar as pessoas sobre a importância da equidade de gênero. É interessante perceber que quando se trabalha na escola, as mães acabam sendo atraídas para a discussão, debatendo a violência contra as mulheres”, afirmou.

Colégio de Itabuna promove reuniões para estreitar a parceria entre escola e família

Fotos: Divulgação
Com o objetivo de estreitar cada vez mais a relação entre escola e família, visando a melhoria do rendimento escolar, a equipe gestora do Colégio Estadual de Itabuna, situado no Sul do Estado da Bahia, vem realizando encontros com os pais durante toda esta semana. As reuniões – que começaram na segunda-feira (6/3) e se estendem até esta sexta (10/3) – envolvem os pais e responsáveis de alunos das 35 turmas do Colégio, totalizando 2.100 estudantes, nos três turnos.
Durante os encontros, realizados por séries, as famílias têm o conhecimento sobre o trabalho pedagógico que está sendo desenvolvido ao longo de 2017. Ao mesmo tempo, explica a diretora da unidade escolar, Adriana Oliveira, os encontros foram preparados om o objetivo de conscientizá-los sobre a importância da participação das famílias para um melhor desempenho escolar dos seus filhos.
“É um momento destinado, sobretudo, para ouvirmos a família e convidá-la para caminharem com a gente nesse processo educativo. Quando o pai e a mãe se fazem presentes, acompanhando a vida escolar do seu filho, vivenciando a escola, os bons resultados são observados no rendimento do aluno, no bom andamento das atividades, e claro, na satisfação dos professores em obter o retorno esperado. Logo, é imprescindível que a comunidade escolar – pais, alunos, professores, gestão, coordenação pedagógica e demais funcionários – esteja sempre engajada no processo educativo, a fim de solucionar os problemas inerentes à vida escolar e promover uma Educação de qualidade”, destaca a gestora.
Presença da família
Os pais e responsáveis atenderam ao chamado da direção da escola e compareceram com orgulho e determinação às primeiras reuniões. “Eu, que também sou professora, constato o quanto é importante a aproximação da família com a escola, porque o acompanhamento dos pais é uma garantia de aprendizagem do seu filho. Aqueles estudantes que os pais acompanham de perto o seu desenvolvimento escolar, geralmente são bem-sucedidos e, dificilmente, dão trabalho na escola”, avalia Guilherma Alves, mãe da aluna Gláucia Reis Alves, 6º ano.
Pela mesma motivação, o senhor Joselito Menezes, pai do aluno João Marcos Santos, também do 6º ano do Ensino Fundamental, disse que faz questão de participar da vida escolar do filho. “A reunião é importante para que a gente fique sabendo como estão se desenvolvendo os nossos filhos dentro da sala de aula. A gente conhece os nossos filhos e sabemos o que estão fazendo em casa, mas na escola não. Então, se a gente acompanha de perto, junto aos diretores e professores, vemos se estão brincando muito ou se estão prestando a atenção nas aulas e, assim, poderemos ajudá-lo a melhorar”, diz.
A mãe da aluna Rayssa Arcanjo, 6º ano, Daniele Santos, também acredita que o acompanhamento dos responsáveis estimula os filhos a serem mais comprometidos com a escola: “É importante estarmos sempre presentes na vida escolar dos nossos filhos. Com isso, tomamos conhecimento sobre o planejamento escolar para o ano letivo, sobre as dificuldades que eles venham a ter e, com isso, podemos contribuir para que eles busquem ajuda e melhorem o seu rendimento”. Dona Rosimere Santana, mãe de David Lima Santana, 6º ano, também comenta: “Depende muito dele querer aprender, ganhar conhecimentos, mas a nossa presença, incentivando sempre, não tenho dúvidas, ajuda bastante no processo de ensino e aprendizagem”, afirma.
A diretora da escola afirma que o objetivo de fazer com que pais, mães e demais responsáveis dialoguem com a escola foi, de fato, conquistado. “A gente conseguiu atrair as famílias para dentro da unidade, onde obtiveram informações e aconselhamentos com os professores e a nossa equipe gestora sobre a rotina escolar dos seus filhos. É importante que a família tenha conhecimento, por exemplo, sobre o regimento escolar, a divisão dos conteúdos por unidades, que agora serão três e não mais quatro, entre outros assuntos pertinentes à vida escolar. Com esse pertencimento, os pais se sentem estimulados no acompanhamento da vida escolar de seus filhos”, conclui a gestora.

Estudantes descobrem que extrato da erva-cidreira pode matar larvas do Aedes aegypti

Projeto das estudantes baianas vai ser apresentado durante feira de ciências, em São Paulo.

Muito além das propriedades medicinais já conhecidas – como calmante, diurética e expectorante –, a erva-cidreira ganhou uma outra notoriedade pelas mãos das estudantes Júlia Fagundes e Sandy Marques, ambas com 17 anos. Ao cursarem o 3º ano no Colégio Estadual Rolando Laranjeira, no município de Santa Maria da Vitória, no oeste baiano, elas desenvolveram uma pesquisa em sala de aula e descobriram que a Lippia alba (erva-cidreira brasileira), existente em abundância na região, pode matar a larva do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Pelo alcance social, baixo custo e por não causar nenhum prejuízo à saúde, o projeto ‘A propriedade larvicida do óleo essencial da erva-cidreira brasileira’ foi selecionado para a 15ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia(Febrace), que acontece entre os dias 20 e 27 de março, na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Ao todo, seis projetos da rede estadual serão apresentados no evento, destacando as experiências desenvolvidas no âmbito do projeto Ciência na Escola, da Secretaria da Educação do Estado da Bahia.

“Desenvolvemos uma pesquisa sobre plantas existentes em Santa Maria da Vitória, como a erva-cidreira, o manjericão e a arruda, e, através dos óleos essenciais retirados destas espécies, fizemos testes com as larvas do A. aegypti. Comprovando, por fim, que a folha da erva-cidreira contém propriedades larvicidas, promovendo assim meios mais naturais de combatê-las”, relata Júlia Fagundes.

De acordo com a pesquisa, o óleo essencial da Lippia alba – onde se encontram as propriedades larvicidas – é de fácil extração, tornando a técnica barata e acessível. Para extrair o óleo essencial do material vegetal, as estudantes construíram um destilador simples, com a utilização de materiais reciclados, como copos acrílicos (para formar o condensador); mangueira de nível (para transporte do óleo essencial); lâmpada (recipiente onde foi aquecido com água o material vegetal); T de PVC (fazendo a ligação da mangueira com a lâmpada); rolha de cortiça (para lacrar um dos lados do T); lamparina (para aquecer a solução) e lata de leite ninho.

Com os testes realizados, a partir desta tecnologia social, as estudantes concluíram que a propriedade larvicida presente no óleo essencial da erva-cidreira brasileira apresenta-se mais eficaz que o larvicida artificial. Sandy Marque comemora o reconhecimento nacional do projeto de iniciação científica e fala sobre as expectativas para a participação na Febrace. “Com este trabalho, passei a ter um olhar mais apurado para as Ciências, para a pesquisa. Não esperava que iríamos tão longe, porque trabalhos do país inteiro foram observados, embora o nosso tenha abordado um problema”.

Rui anuncia editais de programa de bolsa e estágio para universitários

Foto: Mateus Pereira/GOVBA
Com o objetivo de promover a permanência e melhora do desempenho dos estudantes das universidades estaduais baianas, o Governo do Estado lança o edital do Programa Mais Futuro nesta terça-feira (7). O anúncio foi feito pelo governador Rui Costa durante transmissão ao vivo, pelo Facebook (facebook.com/ruicostaoficial), do programa ‘Digaí, Governador!’. “O Mais Futuro é um programa de assistência estudantil para garantir a permanência do estudantes nas universidades da Bahia, com o apoio do Governo do Estado”, afirmou Rui.
A iniciativa, que integra o Programa Educar Para Transformar, tem como meta beneficiar nove mil estudantes universitários em condições de vulnerabilidade socioeconômica. Eles terão acesso a auxílio financeiro para dar continuidade aos estudos e evitar o abandono do curso superior por falta de condições de concluir a graduação. Segundo o governador, o Mais Futuro é um grande passo para a educação superior pública no estado e terá um investimento de cerca de R$ 50 milhões até o fim de 2018.
De acordo com o edital, que estará disponível no Diário Oficial do Estado (DOE), os estudantes universitários terão até 31 de março para fazer as inscrições. O auxílio terá valor de R$ 300 ou R$ 600 mensais. O primeiro valor é destinado a universitários que estudam a até 100 quilômetros da sua cidade de origem. Já o segundo é para aqueles que moram em cidades a mais de 100 quilômetros de distância do campus onde estão matriculados. Estando dentro do perfil do programa, o estudante poderá receber o auxílio desde o primeiro semestre até completar 2/3 (dois terços) do curso.
“Esta iniciativa beneficia aqueles estudantes que mais precisam de políticas públicas para garantir sua permanência na universidade, o acesso ao estágio e a conclusão do ensino superior”, explicou o secretário estadual da Educação, Walter Pinheiro.  As quatro universidades públicas do Estado –  Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia(Uesb) – serão contempladas pelo programa.
>> Escute a íntegra do programa DigaAí Governador 
Como participar
Para participar, o estudante deverá manifestar formalmente o interesse por meio da página do programa na internet. Depois desse passo, eles serão cadastrados pelas unidades de ensino, apresentando a documentação exigida. O pagamento das bolsas será feito diretamente ao próprio estudante, através de cartão, em conta bancária criada exclusivamente com essa finalidade.
No terço final da graduação, os beneficiários terão a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado. Os estudantes que já estão na fase final do curso e atendem os critérios também podem ingressar no programa, já na fase do Estágio.
Critérios
Entre os critérios para participar do Programa Mais Futuro estão: ter registro atualizado no Cadastro Centralizado de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico); não possuir vínculo empregatício e não ter concluído qualquer outro curso de nível superior.
Para fazer a atualização cadastral ou inscrição no CadÚnico, passo obrigatório para participar do programa, o estudante ou familiar pode procurar um Centro de Referência em Assistência Social (Cras) no município onde a família reside e solicitar o cadastramento. No caso do cadastro familiar, é importante ter uma pessoa responsável pela família para responder às perguntas do cadastro. Essa pessoa deve fazer parte da família, morar na mesma casa e ter pelo menos 16 anos. Também é possível fazer o cadastro individual.

CEEP ITABUNA OFERECE VAGAS EM CURSO TÉCNICO EM NUTRIÇÃO

CEEP Itabuna oferece vagas em curso técnico.

As matrículas podem ser feitas no CEEP em Biotecnologia e Saúde (antigo Colégio Polivalente), próximo ao Hospital Calixto Midlej Filho. De acordo com a direção da escola, as aulas começam no próximo dia 13.

Para a matrícula, o aluno deve apresentar cópia do RG, CPF, comprovante de residência e levar foto 3 por 4, pasta individual, e histórico até 8ª Série ou 9º ano. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (73) 3612-8999 e 3613-8155.

Todos os alunos do terceiro ano serão avaliados em 2017

ALUNOS EM SALA 2O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) passará a avaliar, em 2017, todas as escolas brasileiras que ofereçam terceiro ano do ensino médio e que cumpram determinados critérios. Até a última edição do Saeb, a etapa final do ensino médio era avaliada por amostragem, permitindo a produção de resultados agregados por estado, região e Brasil. Com a mudança, não só as escolas públicas do ensino fundamental, mas também as de ensino médio, públicas e privadas, terão resultados individuais no Saeb e, consequentemente, no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Com a ampliação, é prevista a participação de mais de 7,5 milhões de estudantes no Saeb, a maior edição da história do sistema. Desses, 2,4 milhões são alunos do terceiro ano do ensino médio público e privado. Os demais 5,1 milhões são alunos do quinto e nono anos do ensino fundamental público. Em 2017, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) aplicará duas das três avaliações do Saeb: a Avaliação Nacional da Educação Básica (Aneb) e a Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Anresc). Mais conhecida como Prova Brasil, é esta última que fornece parte dos dados para cálculo do Ideb, que considera ainda dados do Censo Escolar. As avaliações serão aplicadas no segundo semestre.

Secretaria apresenta plano de trabalho para diretores dos 27 NTE

 encontro secretario 2
Os diretores dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE), participaram de encontro para apresentação do plano de trabalho para os anos de 2017/2018 e contribuições do planejamento estratégico da Secretaria da Educação do Estado. Foram dois dias (20 e 21/2) de reuniões, que contaram com a participação do Secretário da Educação da Bahia, Walter Pinheiro, e gestores. O enfoque principal foi o fortalecimento do eixo pedagógico nas unidades e da relação entre os NTE e a Secretaria, assim como, as novidades e parcerias que irão auxiliar a educação em toda a rede estadual.
Fotos: Suâmi Dias Ascom/Educação
Para o secretário, os núcleos têm que contribuir na reformulação da educação, partindo de uma gestão que respeite o conceito territorial. Pinheiro pautou como principal desafio da Educação o desenvolvimento do eixo pedagógico e disse que a secretaria está trabalhando para que todas as escolas passem a contar com uma coordenação pedagógica. “Pedagogia não é uma agenda. Toda escola com coordenação pedagógica é o desafio pautado para toda a Secretaria da Educação, que se coloca como ferramenta, como apoio”, afirmou.
Pinheiro ainda falou sobre como secretaria pretende aumentar a aproximação com os Núcleos. “Estamos criando a Coordenação de Núcleos Territoriais com a função de ampliar essa relação, dando todas as condições para realizarmos um trabalho focado nos aspectos específicos de cada território”. Outra iniciativa destacada é a reestruturação do Instituto Anísio Teixeira, que passará a atuar na formação de professores de forma territorial, em parceria com as universidades públicas estaduais e federais na Bahia, além dos institutos federais.
Fotos: Suâmi Dias Ascom/Educação
A diretora Solange Sampaio, do Núcleo Territorial de Educação do Litoral Sul (NTE 5), falou sobre a importância do encontro. “Essa reunião foi fundamental pois apresenta as ações da secretaria para efetivar as atuações dos Núcleos em suas regiões. Ficamos muito satisfeitos pela criação da coordenação, pois é algo que já vínhamos sinalizando essa necessidade e nesse momento é anunciado essa aproximação tão esperada”, enfatizou.
Já para o diretor Ricardo Moraes, do Núcleo Territorial de Educação do Sudoeste Baiano (NTE 20), o momento “foi essencial pois mostra o perfil desta gestão que dá um novo redimensionamento no sentimento da escola, resgatando o perfil pedagógico e o papel da escola”, pontuou.
Projetos
O secretário também apresentou novos projetos que serão desenvolvidos na rede estadual, como o projeto Inove Educação, desenvolvido em parceria com o Google para a disponibilização gratuita da plataforma Google Apps para Educação. O aplicativo Google Sala de Aula disponibiliza um Ambiente Virtual de Aprendizagem de última geração, dinamizando os processos de ensino e aprendizagem e configurando uma rede social de conhecimentos que integra estudantes e professores.
Pinheiro ainda citou a implantação de novos Centros Juvenis de Ciência e Cultura, hoje presentes em cinco municípios; das Escolas Culturais, que disponibilizarão cursos e ferramentas para fomentar a produção audiovisual, além de salas de exibição; dos Escritórios Criativos, para fomentar o empreendedorismo; o desafio de conectar todas as escolas através da banda larga; além da realização do Virtual Educa 2018, na Bahia.
O secretário informou que serão investidos mais de R$ 90 milhões para assegurar a recuperação e a manutenção de escolas, além de novos investimentos em mobiliário, bibliotecas, material didático e de R$ 32 milhões na aquisição de gêneros alimentícios da Agricultura Familiar.