educacao.ba.gov.br

Professora da rede estadual em Itabuna é finalista do prêmio Educador Nota 10  

Fotos: divulgação
A professora de Educação Física Mayllena Carvalho, que leciona no Colégio Estadual General Osório, em Itabuna, na região sul do estado, está entre os 50 educadores finalistas, de todo o país, do prêmio Educador Nota 10. Seu projeto “O ensino de Educação Física e as práticas corporais de aventura, desenvolvido com estudantes do Ensino Fundamental e Médio, foi selecionado entre os mais de 5 mil trabalhos inscritos. O resultado será divulgado até o dia 07 de agosto, no site www.educadornota10.org.br.
O projeto tem o objetivo de analisar e identificar as possibilidades, bem como os desafios das práticas corporais de aventura no ensino da Educação Física. Para a prática pedagógica, foram ministradas aulas com oficinas de Patins, Skate, Slackline e Parkpur, além de explorar o repertório de conhecimentos com as atividades de aventura terrestres, aquáticas e aéreas.
De acordo com a professora Mayllena, o projeto foi desenvolvido no percurso da primeira unidade para contextualizar aspectos relevantes frente o desafio de promover oficinas sobre práticas corporais de aventura. “A metodologia utilizada para promover vivências aos alunos por meio de oficinas foi uma inovação pedagógica na tentativa de realizar aulas de Educação Física, permitindo ao aluno vivenciar outras possibilidades corporais”, explica a educadora.
Sobre o prêmio
A premiação realizada pela Fundação Victor Civita em parceria com a Fundação Roberto Marinho reconhece professores da Educação Infantil ao Ensino Médio, coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o país, por desenvolverem projetos em diferentes áreas do conhecimento que destacam a importância da aprendizagem de crianças e jovens. Entre os finalistas, são escolhidos os dez Educadores Nota 10, além do Educador do Ano.

Estudantes do CETEP Litoral Sul II aprendem Biologia através de atividades extraclasse

Foto: divulgação

 

Estudantes do Centro Territorial de Educação Profissional (CETEP) do Litoral Sul ll, localizado no município de Itabuna (a 426 km de Salvador), no Sudoeste do Estado, estão aprendendo Biologia de uma forma diferente. Por meio do Projeto Juventude em Ação, os alunos estão realizando atividades extraclasse sobre a realidade socioambiental; exposições; apresentações e visitas de campo. Estas ações, de acordo com a comunidade escolar, são importantes instrumentos para o processo de ensino e aprendizagem, estimulando o protagonismo estudantil e dinamizando o ambiente escolar.

Uma das ações em destaque é o projeto “Biomas Brasileiros”, cujo objetivo foi identificar os biomas e seus problemas; os desmatamentos; as queimadas e a extinção dos animais, a partir das ações antrópicas do homem. “A ideia do projeto surgiu com a necessidade de conscientizar os estudantes sobre a preservação do meio ambiente e dos biomas. Geralmente, eles aprendem sobre ecossistema, porque é mais simples. Já sobre os biomas relacionados com o clima, a vegetação, a temperatura e os animais, eles sabem superficialmente. Então, resolvemos realizar uma atividade mais minuciosa”, explica Tânia Maria Campos, professora de Biologia.

A turma da estudante Lêda Santos, 18 anos, 3º ano do curso técnico de Ensino Médio em Comércio, apresentou, através de imagens e fotografias, o bioma dos Pampas, que fica no Estado do Rio Grande do Sul. “É de suma importância atividades como esta. É conscientizador, porque vários biomas estão em extinção e precisamos começar a preservá-los. Muitos animais que vivem nesses locais estão sendo extintos, justamente porque esses biomas estão sendo destruídos. As futuras gerações precisam desfrutar desse conjunto de ecossistemas”, destaca.Já Isabel Vieira, 16, 2º ano do curso técnico de Ensino Médio em Administração, realizou uma exposição falando sobre a biodiversidade, os costumes, as lendas e as ações antrópicas do ser humano no bioma Pantanal, situado entre os Estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste do país. “Procuramos explicar de forma clara e objetiva. Fizemos duas maquetes. Uma expondo alguns animais e árvores típicas de lá e outra com o Pantanal deteriorado. Abordamos sobre o rio poluído e os animais mortos, bem como explicamos como o ser humano age de forma indevida na natureza, causando tudo aquilo ali. Também confeccionamos um livro, que retrata a cultura, as lendas e as comidas típicas da região do Pantanal. Acrescentou muito em nosso conhecimento saber mais sobre os biomas que temos aqui”, relata.

Governo do Estado lança projeto Escolas Culturais em Itabuna

rc 2O governador Rui Costa lança nesta quinta-feira (27) no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, o projeto Escolas Culturais. A iniciativa integra o programa Educar para Transformar e será executado por meio de uma parceria entre as secretarias da Educação (SEC), da Cultura (Secult), e da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS). O objetivo do projeto é promover o desenvolvimento dos estudantes da rede estadual através de atividades culturais em unidades escolares que serão integradas à comunidade da qual faz parte.

Inicialmente, o projeto será implantado em 85 unidades escolares de 66 municípios, que serão requalificados e receberão equipamentos para que sejam desenvolvidas atividades nas áres de dança, música, audiovisual e literatura. Esses colégios estão focados no fortalecimento e na dinamização do ambiente escolar, visando potencializar os projetos artístico-culturais já existentes e fomentar novas atividades.

“Com a potencialização das atividades culturais, vamos transformar a vida de milhares de estudantes, de suas famílias e da comunidade que integra cada unidade escolar. Quero levar as Escolas Culturais para o maior número possível de municípios, maximizando assim a oportunidade dos alunos terem acesso a diversos tipos de manifestações artísticas. A transformação terá início dentro da escola, mas tenho certeza que vai se expandir e tocar o coração de milhares de baianos”, afirmou o governador Rui Costa.

Com a implantação do projeto, auditórios e outros espaços das 85 unidades receberão equipamentos para projeção de audiovisual, com palco para apresentações artísticas e com internet banda larga para o desenvolvimento dos projetos, a exemplo de programas de rádio e fomento ao empreendedorismo, dentre outros. Dentro da metodologia de trabalho, estão incluídos, entre outras atividades, saraus literários e oficinas de canto, coral, instrumentos, dança, audiovisuais, além de potencialização das bandas marciais, fanfarras e orquestras das escolas ou criação desses conjuntos musicais nas escolas que não os possuírem.

O secretário da Educação Walter Pinheiro destaca que a concepção das Escolas Culturais partiu do governador Rui Costa, com a proposta de ampliar a integração entre a comunidade e as escolas, especialmente por meio das atividades culturais. “Nossas escolas já possuem uma prática consistente de incentivo à arte e à cultura e, agora, teremos condições de ampliar mais ainda estas atividades com foco nos conteúdos pedagógicos, na produção de audiovisual dos estudantes integrada à grade curricular. Quem melhor para contar as histórias do que acontece em cada canto do nosso estado, através da linguagem audiovisual, do que os estudantes?”, indaga Pinheiro.

Para o secretário de Cultura, Jorge Portugal, o projeto vai potencializar a cultura nos Territórios e vai fortalecer o vínculo da comunidade com a escola. “Imaginem uma sala de cinema na escola, um teatro, um palco para apresentações artísticas diversas, pois é assim que será o Escolas Cultuais. Um local inspirador para nossos jovens da Bahia”, ressalta Portugal.

A gestão das Escolas Culturais será realizada por meio de uma equipe compartilhada, com representantes da secretarias da Educação e de Cultura, um grupo de trabalho das duas secretarias e representantes dos Núcleos Territoriais e pelos Núcleos de Arte e Cultura, formado por um professor, dois líderes de classe e um representante Territorial de Cultura. O educador e os dois alunos passarão por uma formação continuada com cursos promovidos em diversas áreas de cultura, ministrados pela Universidade Federal da Bahia, Centro Juvenil de Ciência e Cultura e Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba).

 

Secretaria convoca 300 professores aprovados em seleção Reda

reda
A Secretaria da Educação do Estado publicou, neste sábado (29/7), no Diário Oficial do Estado, o resultado final do processo seletivo para a contratação de professores da Educação Básica e Educação Básica no Campo pelo Regime Especial de Direito Administrativo (REDA). A seleção faz parte do Edital SEC/SUDEPE Nº 005/2017 de 23/02/2017. Ao total são 300 candidatos convocados em caráter de emergência.
Os candidatos têm o prazo de 10 dias úteis, a partir da data de divulgação, para comparecer no horário das 8h30 às 12h e das 14h às 17h30, nos seguintes locais: Secretaria da Educação do Estado situada na Avenida Luiz Viana Filho nº 550, 5ª avenida, CAB (Centro Administrativo da Bahia), 1° andar, sala 138, para os aprovados em Salvador.  Os aprovados para o interior do Estado deverão comparecer nas sedes dos Núcleos Territoriais de Educação (NTE) a que pertence o município para o qual foram aprovados.

Secretaria da Educação realiza encontro com gestores escolares e lança o projeto escolas Culturais em Itabuna.

valter pinheiro

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia realiza, nestas quarta e quinta-feira (26 e 27), o “Diálogos com Gestores” escolatres dos Núcleos Territoriais de Educação de Itabuna (NTE 05), Eunápolis (NTE 27) e Teixeira de Freitas (NTE 07). A atividade será realizada no Complexo Integrado de Educação (CIE), Na quarta-feira (26), da 8h às 18h, e na quinta-feira (27), das 8h às 12h. O evento contará com a participação do secretário Walter Pinheiro e de técnicos do órgão central, que dentre outras questões irão abordar o fortalecimento do eixo pedagógico das escolas.

Segundo a coordenadora da  Coordenação da Educação Básica – CODEB do NTE05, professora Vileide Lopes, esse é um momento muito importante para que os gestores escolares possam dialogar com o secretário da educação e técnicos da SEC sobre as necessidades das escolas com o objetivo de melhorar a oferta de uma educação pública com qualidade social.

EDUCAÇÃO: Gestores discutem permanência de alunos com deficiência nas escolas

Duzentos e trinta gestores ligados à Educação, Saúde, Justiça e Assistência Social, de 54 municípios baianos, participaram, no auditório do Hotel Vila Velha, em Salvador, da última etapa da formação sobre o Benefício de Prestação Continuada na Escola (BPC). A ação, que é realizada em oito etapas, busca promover a elevação da qualidade de vida e a dignidade das pessoas com deficiência, preferencialmente de 0 a 18 anos, garantindo-lhes acesso e permanência na escola.

A coordenadora da Educação Inclusiva, Patrícia Braille, da Secretaria da Educação do Estado, explica que a “formação trabalha eixos para a identificação de beneficiários que estejam fora da escola, a constatação das principais barreiras para o acesso e a permanência na escola das pessoas com deficiência e a realização de estudos e desenvolvimento de estratégias conjuntas para superação destas barreiras”.

A ação é promovida em conjunto pelas secretarias estaduais da Educação, da Saúde (Sesab) e de Justiça, Cidadania e de Direitos Humanos (SJDHDS). “Nesses dias do evento, vimos, na prática, como o debate fica ainda mais qualificado quando diversos setores assumem individualmente suas responsabilidades no cuidado com as pessoas com deficiência”, enfatiza Patrícia.

A rede estadual trabalha com Atendimento Educacional Especializado (AEE), que hoje está disponível para mais de oito mil estudantes com necessidades educacionais especiais. São 65 Salas de Recursos Multifuncionais (SEM), 12 Centros de Atendimento Educacional Especializado e seis instituições conveniadas.

Os alunos são atendidos nas escolas da rede e nos Centros de Educação Especial, dentro de suas especificidades, para que possam participar ativamente do ensino regular. No ato da matrícula, a família pode escolher a escola da sua conveniência e a Secretaria da Educação providencia os meios para que o estudante acesse e permaneça na referida unidade escolar.

Estudantes apresentam criações artísticas e culturais no interior

Fotos: divulgação
As escolas estaduais estão promovendo as seletivas escolares dos projetos de arte e cultura desenvolvidos pela Secretaria da Educação do Estado com o objetivo de dinamizar o ambiente escolar e promover o protagonismo estudantil. Manifestações culturais, recitais de poesia, literatura, mostras de artes visuais, curtas de cinco minutos, patrimônio cultural e apresentações de dança, de música e teatro são parte das atividades com os estudantes e que acabam atraindo amigos e familiares para as escolas. Ao todo 1.109 escolas da rede estão promovendo a primeira etapa de realização dos projetos artísticos e culturais.
No Colégio Estadual José Moreira Cordeiro, localizado no município de Cordeiros, a 662 km de Salvador, na região Sudoeste do Estado, o ‘Sarau Literário’ foi realizado no sábado (22), no Centro Cultural Tercílio Figueredo, envolvendo a seletiva escolar dos seguintes projetos: Festival Anual da Canção Estudantil (Face), Tempos de Arte Literária (TAL), Artes Visuais Estudantis (AVE), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Mostra de Dança Estudantil (Dance), Produção de Vídeos Estudantis (Prove), Festival Estudantil de Teatro (Feste) e Encontro de Canto Coral Estudantil (Encante).
“As apresentações foram ótimas. Este ano nós fomos surpreendidos com o nível das apresentações. Tivemos as participações da família, professores e estudantes de outras unidades e da comunidade local. Os estudantes ficaram muito empolgados. A festa foi muito bonita”, conta a vice-diretora da unidade, Ellen Caires Costa.
A estudante Any Caroline de Moraes Salomão, 17, 3º ano, uma das vencedoras no Dance com coreografia de sua autoria fala da importância dos projetos. “Os projetos estruturantes têm um papel fundamental de envolver os estudantes e a escola, deixando que os alunos mostrem seus talentos, deixando que eles se desenvolvam e tenha oportunidade de expor seu lado artístico. Estou feliz com o resultado”, comemora. A colega Marta Ferreira dos Santos Maia, 17, 3º ano, venceu a seletiva do FACE com a canção “Negritude”, de sua autoria. “A música fala da beleza da mulher negra, de valorização da mulher. Quando escrevi a letra pensei em criar algo interessante que falasse da importância da mulher na sociedade, mas fiquei surpresa com o título”, diz.
Em São Miguel das Matas, a 224 km de Salvador, no Recôncavo baiano, os estudantes participantes do Programa Ensino Médio Inovador (PROEMI), do  Colégio Estadual Aldemiro Vilas Boas, promoveram, na sexta-feira (21), o ‘II Sarau do PROEMI’, com o tema “Arte o espelho da alma”. Para a realização do evento, que contou com a participação da comunidade local, foram criadas peças teatrais, músicas, recitais de poesia e exposição de fotos, sobre conteúdos referentes ao mundo do trabalho, Matemática e empoderamento feminino.
A turma da estudante Íris Vitória dos Santos Souza, 16, do 2º ano, apresentou uma peça teatral e recitou poesia falando sobre o papel da mulher na sociedade e na Ciência. “Criamos uma peça teatral para falar sobre as mulheres que tiveram grande influência e contribuíram muito com a Ciência e poucos conhecem, a exemplo de Melitta Bentz, que criou o filtro do pó de café, e Katherine Johnson, que deu contribuições fundamentais para a NASA quando fez o cálculo do voo Apolo 11, que levou os homens à lua”, relata.
Já Gabriel Souza Silva, 15, 2º ano, fez duas apresentações sobre temas recorrentes no cotidiano. “Apresentei uma peça teatral sobre a evolução dos números e a importância da Matemática no nosso cotidiano e fiz um número de dança sobre a homofobia.  Esse projeto é de grande importância porque, além de conscientizar a comunidade escolar para alguns assuntos, outras pessoas podem participar do evento e conhecer um pouco do nosso trabalho através da nossa expressão da arte”, diz.
Sua colega Íris de Almeida Silva, 16, 2º ano, também participou da apresentação sobre a Matemática e está feliz com o envolvimento coletivo no projeto. “O evento foi ótimo porque expressamos, através da arte, a nossa indignação com alguns problemas sociais que acontecem como a homofobia, o preconceito e o racismo. É um movimento cultural da nossa escola, rico em informação e participação”, conclui.
Em Itabuna, há 450 km de Salvador, o Colégio Estadual Presidente Médici, realizará o FACE  e o Tal no dia 27 de julho, às 17 horas, no pátio da unidade escolar e receberá alunos dos turnos matutino, vespertino e noturmo.

Prorrogadas até 27 de julho as inscrições para o MedioTec

 

Foto: Divulgação

Estão prorrogadas, até o dia 27 de julho, as inscrições para os cursos do MedioTec. As oportunidades tratam de um nova oferta de curso técnico de nível médio na rede estadual de ensino, por meio do qual os estudantes matriculados no 2º ano ou 3º ano do Ensino Médio poderão fazer o curso técnico no turno oposto aos quais fazem o ensino regular. As inscrições para as 2.224 vagas ofertadas em 31 cursos, em 51 municípios, nos diferentes eixos tecnológicos, ocorrerão, exclusivamente, pelo Portal da Educação. Entre os cursos ofertados estão os técnicos em: Agronegócios, Agroecologia, Agroindústria, Administração, Aquicultura, Hospedagem, Guia de Turismo, Teatro, Canto, Dança, Eventos, Cenografia, Instrumento Musical, Agenciamento de Viagem, Pesca, Recursos Pesqueiros, Controle Ambiental, Cozinha, Zootecnia, Computadores, Telecomunicações, Redes de Computadores, Informática, Artesanato, Museologia, Controle Ambiental, Qualidade, Automação Industrial, Produção de Áudio e Vídeo. O processo seletivo inclui sorteio eletrônico, com resultado no dia 31 de julho, no qual concorrerão todos os inscritos. Para alguns cursos do eixo tecnológico Produção Cultural e Designer, os primeiros classificados no sorteio eletrônico para o número de vagas ofertadas irão fazer um teste de habilidades específicas, no período de 2/8 a 4/8. No mesmo período está programada a matrícula e entrevistas (quando houver) para todos os cursos. Para tanto, os classificados devem se dirigir aos Centros de Educação Profissional e unidades compartilhadas para os quais se inscreveram. É preciso levar o original do Histórico Escolar ou atestado escolar atualizado; originais e cópias da Cédula de Identidade, do CPF e do comprovante de residência.

Escolas realizam segunda etapa da Jornada Pedagógica nesta sexta (21)

 

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia, em articulação com os Núcleos Territoriais de Educação (NTE), promove, nesta sexta-feira (21), a partir das 8h30, a segunda etapa da Jornada Pedagógica 2017. A ação, a ser realizada em cada unidade escolar, tem como tema “Escola e comunidade para educar e transformar”, que é um convite à reflexão sobre o movimento que junta escola e comunidade, visando o alcance dos objetivos e metas propostos no projeto político pedagógico da rede estadual. Apresentação da jornada e orientações para a sua realização, entre outros assuntos, estão publicados na página da Jornada Pedagógica, no Portal da Educação.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, acompanhará a atividade em escolas, em Salvador, começando pelo Colégio Estadual Raphael Serravale, na Pituba, às 8h30. Pinheiro diz que esta é a primeira vez que a Secretaria realiza uma segunda etapa da Jornada Pedagógica. “Agora chegou a hora de avaliar se o que foi feito no primeiro semestre foi correto, se deixamos de fazer algo ou até o que, efetivamente, poderemos acrescentar nesta segunda etapa. A pedagogia não é algo estático e requer alterações a partir do que se processa no dia a dia da escola. Por isso, é importante esta segunda etapa, porém o mais importante é envolver toda a comunidade escolar para discutir o que queremos dessa escola e o que a Secretaria deve fazer”.
O superintendente de Políticas para o Desenvolvimento da Educação Básica da Secretaria da Educação, Ney Campelo, ressalta que a segunda etapa da Jornada pedagógica 2017 acontece em um momento em que a escola assume um papel importante de intercambiar saberes, como também valores culturais, morais e, sobretudo, éticos, já legitimados pela sociedade. “A partir desse entendimento, a parceria entre escola e comunidade torna-se indispensável para um processo de transformação de ambas”, pontua, ressaltando que, para isso, é necessária uma boa relação entre gestores, família, professores, estudantes e funcionários, que irá favorecer o processo de ensino e da aprendizagem dos estudantes.
Em várias unidades da rede serão realizadas atividades ligadas à jornada, a exemplo do Colégio Estadual Rotary, no bairro de Itapuã, em Salvador. A partir das 9h, a comunidade escolar realiza o projeto Novos Rumos, que traz palestras de motivação e um bate-papo com diversos profissionais escolhidos pelos próprios alunos sobre temas voltados à carreira.

Secretaria cadastra grafiteiros para intervenções artísticas nas escolas estaduais

Foto: Claudionor Jr. – Ascom/Educação
A Secretaria da Educação do Estado está realizando, até o dia 25/7, o cadastramento de grafiteiros para participarem do projeto de arte-educação #Grafitaê: escola conta e pinta sua história. Por meio do projeto, os estudantes realizam intervenções artísticas no ambiente escolar, dialogando com a cultura urbana, a exemplo do grafite, com a discussão de temas transversais e relacionados ao universo jovem. O #Grafitaê já passou por unidades como o Colégio Estadual Helena Matheus, no bairro de São Cristóvão, Escola Integral Severino Vieira, no bairro de Nazaré e Colégio Estadual Leda Jesuíno, localizado no bairro Engenho Velho de Brotas, em Salvador, sempre com a participação e orientação de grafiteiros.
A proposta é que a ação chegue a 270 unidades escolares da rede estadual neste ano. Para tanto, o cadastramento auxiliará os diretores escolares no mapeamento e contato dos grafiteiros em todos os 27 Núcleos Territoriais de Educação do Estado. Para se cadastrar é preciso dominar as técnicas do grafite e se habilitar preenchendo o formulário.
Mais sobre #Grafitaê
Lançado no dia 10 de maio, pela Secretaria da Educação do Estado, o #Grafitaê está colorindo as escolas da rede da capital e do interior. Tendo o grafite como principal ferramenta de expressão visual, a iniciativa aborda a temática de forma lúdica, criativa e educativa, envolvendo e desafiando os alunos a participarem de atividades diversas, como rodas de conversas e oficinas de hip-hop, rap, breakdance e grafite, por meio das quais eles produzirão conteúdos pedagógicos.
A ideia é que, através da liberdade de expressão, da criatividade, da interação coletiva e do grafite, os estudantes desenvolvam o sentimento de pertencimento e de identidade. Desta forma, o projeto contribui para valorizar a cultura urbana, fazendo com que o grafite revele a história de vida dos estudantes e da comunidade nos ambientes escolares.