educacao.ba.gov.br

Núcleo Territorial de Itabuna realiza etapa regional dos projetos de arte e cultura

IMG-20150814-WA0032

O Núcleo Territorial de Educação de Itabuna (NTE 05) realiza, nesta quarta-feira (18),  o 6º Encontro dos Projetos Artísticos Culturais com apresentações dos estudantes das escolas estaduais do território. Os estudantes passaram pela seletiva nas escolas e agora passarão pela etapa territorial até a culminância estadual que será realizada em Salvador.

O evento será a partir das 14 h, na Terceira Via Hall.  No encontro serão apresentadas as criações estudantis dos seguintes projetos:  Festival Anual da Canção Estudantil (FACE), Artes Visuais Estudantis (AVE), Tempos de Arte Literária (TAL), Festival Estudantil de Teatro (Feste), Produção de Vídeos Estudantis (Prove), Educação Patrimonial e Artística (EPA), Canto Coral Estudantil  (Encante) e o Dança Estudantil (Dance). O corpo de jurados será  composto por artistas regionais.

A encontro será aberto pela diretora do NTE 05, Josefina Castro, e em seguida haverá a apresentação musical com os alunos e professores da Oficina de Música do Centro de Acompanhamento Pedagógico (CAP Grapiúna).

Estudantes do Partiu Estágio devem se apresentar até o próximo dia 18

PARTIU ESTÁGIO
O prazo para apresentação dos convocados do Programa Partiu Estágio termina na próxima quarta-feira (18). Os universitários baianos de instituições privadas, federais e estaduais selecionados para o segundo edital do programa devem se apresentar no órgão para onde foram indicados, de acordo com o e-mail de convocação. Ao todo, foram convocados 2.897 estudantes. A lista dos selecionados está disponível para consulta no site da Secretaria da Administração (Saeb).
De acordo com a convocação, realizada no dia 3 de outubro, os selecionados terão o prazo de dez dias úteis para se apresentarem no órgão ou entidade no qual irão estagiar, devendo apresentar os documentos pessoais listados em edital. O prazo para comparecimento no local de estágio se inicia no dia do recebimento do e-mail e o não comparecimento implica na perda da vaga. Nesta sexta-feira (13), não haverá expediente nas repartições públicas do Estado, como orienta o decreto 17.385/2017, sendo retomado a partir de segunda (16).
O contrato dos jovens selecionados tem duração de um ano, sem possibilidade de prorrogação. As atividades que serão desenvolvidas estarão previstas no Plano de Estágio, documento que será assinado pelo estudante, pela instituição de ensino superior e pelo órgão contratante no ato da contratação, juntamente com o Termo de Compromisso de Estágio. A carga horária de atividade é de quatro horas diárias e 20 horas semanais. Durante a vigência do estágio, o estudante terá direito a bolsa mensal, auxílio-transporte e recesso remunerado proporcional.
Gerido pela Saeb, o programa garante acesso a oportunidades de formação a jovens universitários que ainda não conseguiram se inserir no mercado de trabalho. É prioritário para estudantes inscritos no CadÚnico e para aqueles que tenham estudado todo o ensino médio em escola pública ou com bolsa integral na rede privada. É necessário, entre outras coisas, que o universitário tenha idade mínima de 16 anos e que tenha cumprido pelo menos 50% de sua graduação, desde que ministrada presencialmente por instituição com sede na Bahia.
Fonte: Ascom/Saeb

Começam as inscrições para a 7ª Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação da Bahia  

Os estudantes e professores orientadores do Ensino Fundamental II, do Ensino Médio e da Educação Profissional e Tecnológica da rede estadual de ensino já podem submeter seus projetos de iniciação científica à 7ª edição da Feira de Empreendedorismo, Ciência e Inovação (7ª FECIBA), promovida pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia. As inscrições para a submissão dos trabalhos começaram nesta segunda-feira (16) e seguem até o dia 30 de novembro.

A 7ª FECIBA tem como objetivo despertar nos estudantes o gosto e o interesse pela pesquisa científica, desenvolver a capacidade criativa de raciocínio lógico, o protagonismo estudantil e o espírito empreendedor por meio de projetos de experimentação científica. Além disso, a feira busca, ainda, revelar talentos, valorizando a criatividade na elaboração e execução dos projetos de pesquisa, que visem solucionar problemas reais da comunidade local e despertar vocações, por meio da inovação educacional.

 

Colégio da rede estadual é selecionado para participar de documentário

 

O Colégio Estadual Paulo César da Nova Almeida, localizado no município de Ibirapitanga, no Baixo Sul baiano, é uma das dez escolas selecionadas – entre 200 unidades de todo o país – para participar do documentário sobre práticas pedagógicas relacionadas à promoção da igualdade de raça e de gênero, que está sendo produzido pelo Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdades (CEERT), com sede em São Paulo. Isto se deve aos desdobramentos da ação ‘Diálogos da Diversidade’, promovida pela escola e vencedora do 7º Prêmio Educar para a Igualdade Racial e de Gênero, realizado em 2015, pelo CEERT.

As gravações para o documentário foram iniciadas na semana passada, com a participação de estudantes, professores e gestores, no próprio Colégio Estadual Paulo César da Nova Almeida. A aluna Monique Batista, 17, 3º ano, fala com orgulho da sua contribuição. “Fiquei muito feliz de poder compartilhar algumas práticas importantes que realizamos aqui na nossa escola, que contribuem para o debate sobre o combate ao racismo e respeito à diversidade. São ações importantes, como debates e apresentação de peças teatrais, que visam a conscientização de todos nós. Sou muito orgulhosa de fazer parte dessa história que, agora, está sendo documentada”.

O colega Werlis Mota, 17, 3º ano, também se declara envaidecido com a repercussão nacional que o colégio onde estuda está tendo. “É muito importante para a nossa formação estudarmos em uma unidade que nos faz sentir parte integrante da sociedade, que promove o debate sobre temas atuais e necessários e abre espaço para que a gente exponha as nossas opiniões. Isto tem um impacto forte nas nossas vidas”.

O diretor Eleondes Coelho ressalta a atuação do colégio visando uma educação transformadora, voltada ao diálogo sobre questões raciais, de gênero e proteção à mulher, entre outros temas curriculares pedagógicos. “Estamos muito orgulhosos de termos sido uma das dez escolas de todo o país a participar do documentário. Entre as ações que realizamos na escola, destaco a mobilização que fizemos junto à população pela proteção à vida e contra a violência à mulher. Outro destaque foi a questão do acolhimento às alunas que estão amamentando, a exemplo de Amanda Barroso, 18, que participa do documentário. Também realizamos práticas relacionadas à consciência negra, levando em conta que cerca de 90% da comunidade escolar é negra”, relata o gestor.

A representante do CEERT-SP, Gisele dos Anjos, comenta sobre a iniciativa do arte-educador Francisco Nascimento, ex-professor do colégio, idealizador da prática ‘Diálogos da Diversidade”: “Posso dizer que, depois das visitas à unidade, fiquei ainda mais fã desse educador fantástico, comprometido com uma educação emancipatória que ultrapassa os muros da escola”

Flica proporciona aproximação entre leitores e escritores com mesas de debate

UAB

O município de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, está transformado em um caldeirão cultural até este domingo (8), com a realização da Feira Literária Internacional de Cachoeira (Flica). Uma das maiores atrações é a oportunidade de ouvir o que os autores têm a dizer, conhecer um pouco da história de cada um deles, que não está contada nos livros. Nesta sexta-feira (6), os convidados foram a bicampeã do prêmio Jabuti, Maria Valéria Rezende, e o escritor baiano Franklin Carvalho, vencedor do Prêmio SESC de Literatura 2016.Maria Valéria afirmou que a Flica é um modelo de evento que deveria se multiplicar. “O escritor não é trazido para ficar inacessível em cima de um palco, cercado de pessoas que o levam para cá e para lá e não consegue chegar perto do público. Eu, que sou meio cega, quando me botam com um enorme holofote na frente e um público lá embaixo, eu fico falando com a escuridão, é horrível. E nós, escritores, precisamos de gente para nos inspirar e ter energia para escrever. Este tipo de encontro, que depois a gente anda na rua, é isso que tem que fazer, levar os momentos de convivência literária para o maior número de lugares possíveis e a Flica indica esse caminho”.Franklin Carvalho elogiou o evento, do qual já participou de outras edições. “Eu gosto muito de Cachoeira porque é uma cidade com vocação para as artes. Já participei de outras Flicas e o público está sempre com vontade de aprender mais. Temos hoje professores, estudantes e foi fantástica essa química. É uma fórmula que deu muito certo e a maneira como as pessoas reagiram às nossas palestras, se emocionaram, é um encontro completo”.

Ana Carolina Santana, 17 anos, faz o segundo ano de mineração, no Instituto Federal da Bahia em Jacobina (Ifba/Jacobina) e foi com professores e colegas para a Flica. “É uma experiência incrível por eu me sentir mais próxima da história e da cultura deste lugar. Assistimos algumas mesas que falam da independência, a história da ponte, é uma experiência que a gente leva para o resto da vida”.

Jainara dos Santos Silva, 17 anos, é de Castro Alves e também assistiu às mesas com os autores. “A leitura é muito importante para nosso desenvolvimento. Esta é a minha primeira vez na Flica, está sendo muito produtivo, estou adquirindo muitos conhecimentos, principalmente porque estou cursando o terceiro ano, então enriquece mais o meu conhecimento”.

Marcelo dos Santos Figueiredo é estudante de história em Bom Jesus da Lapa. Ele participou de uma oficina de acessibilidade na Casa Educar para Transformar. “É é a segunda vez que eu participo da Flica, fui finalista dos projetos estruturantes da Secretaria da Educação do Estado com poesia”.


Palavra de homenageado

O escritor homenageado pela Flica 2017, Rui Espinheira Filho, disse que a feira é um evento importantíssimo que ele acompanha desde o início. “Eu me sinto muito honrado porque é um dos mais importantes movimentos culturais do Brasil. É uma maravilha os jovens terem livros a preços populares, pois a grande coisa é o contato com a literatura. Se o jovem tem contato com a literatura e tem vocação para a leitura, ninguém segura. Na Flica o que eu mais gosto é a espontaneidade, o público variadíssimo, de crianças a pessoas da minha idade ou mais. O clima é muito bom, de alegria, como a literatura merece. A literatura é isso, uma festa da vida”.

#PapoCorreria: Rui recebe comandante da Ronda Maria da Penha em bate-papo com internautas  

governador RUI COSTA

A partir das 12h desta terça-feira (10), o governador Rui Costa conversa com internautas, ao vivo pelo Facebook, na terceira edição do #PapoCorreria, como foi batizada a transmissão em vídeo feita em sua página oficial na rede social. Desta vez, Rui também conversará com a major Denice, comandante da Ronda Maria da Penha desde 2015 e vencedora do prêmio Claudia 2017, na categoria políticas públicas. Dez de outubro é o Dia Nacional de Luta contra a Violência à Mulher, tema que será abordado na entrevista virtual, que tem como objetivo garantir ainda mais transparência à gestão do governador. A agenda de Rui nos próximos dias e as obras do Governo do Estado nas estradas, entre outros assuntos, também estarão na pauta do #PapoCorreria de hoje. Os internautas podem assistir à entrevista na página do governador Rui Costa no Facebook, no endereço www.facebook.com/ruicostaoficial. A primeira edição do #PapoCorreria aconteceu no dia 26 de setembro e o bate-papo será realizado semanalmente sempre a partir das 12h das terças-feiras.

Programa Primeiro Emprego reconvoca egressos da rede estadual de educação profissional

MAIS FUTURO

O Programa Primeiro Emprego está convocando novamente os beneficiários da primeira, segunda e terceira etapas do programa para comparecimento aos postos do Sinebahia mais próximos de suas residências. A iniciativa oferece até dois anos de experiência profissional para quem já fez o curso técnico na rede estadual de educação profissional.Aqueles candidatos que participaram da seleção devem conferir se seus nomes estão nas listas de reconvocação para que possam ir ao Sinebahia e, em seguida, assumir sua vaga de emprego.
É necessário levar RG, Carteira de Trabalho e Comprovante de Residência. Os egressos também devem deixar seus contatos atualizados na escola onde estudou para facilitar a sua localização pela coordenação do programa.Caso o beneficiário já tenha comparecido ao Sinebahia e já esteja habilitado, ele deve aguardar o chamado da entidade contratante. Dúvidas podem ser enviadas para o e-mail primeiroemprego@governadoria.ba.gov.br.
Confira as listas de reconvocação: 
Municípios 1 a 10: Salvador, Alagoinhas, Vitória da Conquista, Juazeiro, Guanambi, Eunápolis, Itabuna, Ilhéus, Feira de Santana e Jequié.

Municípios 11 a 25: 
Santo Antônio de Jesus, Cruz das Almas, Camaçari, Itororó, Senhor do Bonfim, Gandu, Ibotirama, Barreiras, Caetité, Ribeira do Pombal, Paulo Afonso, Capim Grosso, Seabra, Itaberaba e Catu.

Municípios 26 a 45: Valença, Jaguarari, Ipiaú, Irecê, Jaguaquara, Serrinha, Caculé, Entre Rios, Lauro de Freitas, Araci, Ituberá, Simões Filho, Esplanada, Santaluz, Conceição do Jacuípe, Macaúbas, Santa Maria da Vitória, Wagner, Cícero Dantas, Cândido Sales.

Municípios 46 a 90: Andorinha, Santa Rita de Cássia, Buerarema, Amargosa, Brumado, Santo Amaro, Uauá, Tucano, Ipirá, Irará, Jacobina, Jeremoabo, Mata de São João, Arataca, Itapetinga, Piritiba, Itambé, Iaçu, São Domingos, Itanhém, Riachão do Jacuípe, Teixeira de Freitas, Mundo Novo, Amélia Rodrigues, Maraú, Caturama, Itabela, Miguel Calmon, Itamaraju, Boquira, Vera Cruz, Xique-Xique, Maracás, Livramento de Nossa Senhora, Inhambupe, Rio Real, Dias d`Ávila, Saúde, Euclides da Cunha, Rodelas, Morro do Chapéu, Una, Ruy Barbosa, Várzea da Roça, São Sebastião do Passé.

Governo inaugura Fábrica-Escola de Chocolate e projeto Escolas Culturais nesta sexta-feira em Gandu

governador RUI COSTA

A comunidade escolar do município de Gandu, na região do Sul Baiano (a 295km de Salvador), está em festa. Nesta sexta-feira (6/10), o governador da Bahia, Rui Costa, acompanhado pelo secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, inaugura, às 9h, a Fábrica-Escola de Chocolate, no Centro Territorial de Educação Profissional do Baixo Sul (CETEP), no Lago Azul, às margens da BR-101. No período da tarde, às 14h, na mesma unidade de ensino, será lançado o projeto Escolas Culturais, que propõe fortalecer e dinamizar o ambiente escolar, potencializando os projetos artísticos e culturais  e promovendo a integração da escola com a comunidade trazendo o pertencimento e fomentando a valorização da cultura local. Dentro de instantes, acompanhe a transmissão da inauguração da fábrica, em nossa página do Facebook.

“A inauguração da Fábrica-Escola de Chocolate marca as novas ações do Estado para contribuir no processo de ensino e aprendizagem dos estudantes da Educação Profissional através de aulas práticas, no desenvolvimento de projetos de pesquisa, de intervenções sociais, na capitação e certificação de trabalhadores, na incubação, pré-incubação e aceleração de empreendimentos”, destaca o secretário da Educação, Walter Pinheiro. A proposta é inaugurar novas fábricas em Arataca, que funcionará no CEEP da Floresta do Cacau e do Chocolate Milton Santos; em Ipiaú, no CETEP do Médio Rio das Contas, e em Ilhéus, no CEEP do Chocolate Nelson Schaun.

Ainda no CETEP Baixo Sul, em Gandu, nesta sexta, será implantado o projeto Escolas Culturais, que visa a integração entre a escola e a comunidade, promovendo o intercâmbio entre as diversas áreas artísticas e culturais. O objetivo é promover a implementação do projeto em 85 escolas públicas da rede estadual, em 85 municípios, nos 27 Territórios de Identidade da Bahia, em parceria com as Secretarias da Cultura, de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social e Casa Civil. Já foram inauguradas as Escolas Culturais nas unidades dos Colégios Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna e Juazeiro. O lançamento do projeto Escolas Culturais vai contar na programação com apresentações de música, dança, teatro, artes literárias e audiovisual, desenvolvidos pelos estudantes nas escolas da rede estadual.

Partiu Estágio: mais de 2 mil estudantes são convocados em segundo edital

PARTIU ESTÁGIO

Foto: Divulgação

O governador Rui Costa, anunciou por meio de uma live no Facebook, nesta terça-feira (3), que a relação dos 2.897 estudantes aprovados no segundo edital do programa Partiu Estágio já pode ser acessado no site da Secretaria da Administração do Estado. Os universitários estão sendo informados da aprovação por meio do e-mail informado no ato de inscrição.

O programa Partiu Estágio foi lançado em abril deste ano. “É a oportunidade para o estudante aperfeiçoar o curso que está fazendo na universidade, além de ganhar uma bolsa para apoiar nos estudos”, afirmou Rui.

Conforme a convocação, os estudantes terão até dez dias úteis para se apresentarem no órgão ou entidade em que irão estagiar, munidos de documentos pessoais listados no edital. O prazo para comparecimento é iniciado no dia dogovernador RUI COSTA recebimento do e-mail. Quem não comparecer dentro do prazo perderá a vaga.

O contrato dos jovens selecionados tem duração de um ano, sem prorrogação. A carga horária é de quatro horas diárias e 20 horas semanais. Durante a vigência do estágio, o estagiário terá direito a bolsa mensal, auxílio-transporte e recesso remunerado proporcional.
Confira a documentação exigida para o estudante começar a estagiar:

– Comprovante de residência
– Original e cópia da Carteira de Identidade
– Original e cópia do Cadastro de Pessoa Física (CPF)
– Original e cópia de carteira de identidade do representante legal ou do termo de guarda expedida por autoridade judicial, se for o caso
– Declaração da instituição de ensino informando o semestre letivo, o turno de estudo, o curso de formação e sua natureza presencial e a conclusão de, no mínimo, 50% do curso
– Comprovante de matrícula e frequência na instituição de ensino
– Declaração própria de que não exerce atividade remunerada em órgão público
– Original e cópia do título de eleitor, se for o caso
– Original e cópia do certificado de reservista, se for o caso
– Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)
– Comprovação de inscrição no CadÚnico, se for o caso
– Histórico escolar do Ensino Médio
– Declaração da escola em que cursou o Ensino Médio, como bolsista integral, se for o caso
– E-mail convocatório emitido pelo sistema.

Educadores participam do seminário de lançamento do 5º Congresso Baiano de Educação Inclusiva em Lauro de Freitas

Com o objetivo de debater a importância da Educação Inclusiva na escola e promover o 5º Congresso Baiano de Educação Inclusiva (CBEI), que acontece de 8 a 10 de novembro, na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), educadores da Educação Básica e Superior participaram do seminário de lançamento do evento, nesta terça-feira (3), na Unime, em Lauro de Freitas. Realizado pela Secretaria da Educação do Estado, com o tema “Desafios atuais na Educação Especial”, especialistas discutiram diversos temas que englobam a garantia da educação de pessoas com deficiência.
“Esse é um momento para divulgar o 5º CBEI, mas também é uma oportunidade que a Secretaria tem de discutir com a comunidade e os professores a questão da Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva, servindo até como uma formação continuada apesar do curto tempo. Mas esta formação facilita e desperta no professor qual o papel dele para garantir, na sala de aula, a educação de pessoas com algum tipo de deficiência”, explicou José Antônio Souza, da comissão organizadora do CBEI e representante da Secretaria da Educação do Estado.
Entre as participantes estavam a professora Jaciete Barbosa, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), que falou sobre os problemas originados pelo preconceito. “Em muitos momentos percebemos que os professores alegam não serem preparados para atuar com estudantes com deficiência, então temos que buscar as causas na nossa formação, que deveria nos preparar para lidar com as diferenças. E tudo isso acaba originando um debate entre preconceito versus Educação Inclusiva, onde devemos trabalhar com a valorização da experiência e da reflexão”, ressaltou.
Também presente, Mariene Maciel, presidente da Associação de Familiares e Amigos da Gente Autista (AFAGA), destacou a importância da participação da família. “Tenho um filho autista e sempre fui atuante em relação a seu direito de frequentar a escola e aprender. A história mostra que a presença da família neste contexto é fundamental. Pode-se perceber que em qualquer escola que existe um conselho forte de pais, as notas são melhores, o ambiente é mais saudável, e isso não é diferente em locais que oferecem essa assistência a alunos com deficiência”, relatou.